D e c r e p i t a r
philadelfia
Hoje tirei o dia pra sorrir, mas não aquele riso falso e sim aquele que parece que todos os problemas vão desaparecer se eu continuar sorrindo. E hoje é a primeira vez que eu sorriu e você não é o motivo desse sorriso (DC.)

Neto Monteiro.  
Estou sofrendo, sim, estou, mesmo que não aparente, cada manhã que acordo, antes mesmo de lavar o rosto ou esticar os braços, penso em você, eu te amo tanto, tanto, e o que mais dói é perceber que no fim do dia, não irei ter um bom sono se não te der um ‘boa noite’, mesmo sabendo que você estará dormindo tranquilamente.
Grey’s Anatomy. 
É assustador como tudo pode dar errado tão rápido. Às vezes, precisamos de uma grande perda, para nos lembrarmos do que realmente importa. Às vezes, ficamos mais fortes. Mais sábios, e mais preparados para o próximo desastre. Às vezes. Nem sempre.
A culpa é mesmo das estrelas? 
Você passa a vida toda tentando se aceitar, tentando olhar para o espelho e se sentir bem. Anda pela rua procurando não ter incertezas ao se ver em cada reflexo de vitrines que te aguardam. Tentando sorrir, para não deixar que vejam suas dores, querendo uma história feliz para contar e outra para viver. Tentando fazer seu reflexo refletir sua alma, tentando aparentar o bem que carrega no coração. E se pergunta, se algum dia vai conseguir.
Conversas com seu moço. 
E ele tem um sorriso tão bonito seu moço, a voz dele me faz arrepiar, e quando ele me abraça e me beija, é como se o mundo parasse, e quando ele vai embora seu moço, parece que uma parte de mim tá faltando. Eu acho que isso é amor, eu to amando seu moço.
Legião Urbana.
Uma menina me ensinou, quase tudo que eu sei. Era quase escravidão, mas ela me tratava como um rei. Ela fazia muitos planos, eu só queria estar ali sempre ao lado dela… Eu não tinha aonde ir. Mas egoísta que eu sou, me esqueci de ajudar a ela como ela me ajudou, e não quis me separar. Ela também estava perdida, e por isso se agarrava a mim também. E eu me agarrava a ela porque eu não tinha mais ninguém. E eu dizia: “Ainda é cedo.” Sei que ela terminou o que eu não comecei. E o que ela descobriu, eu aprendi também, eu sei. Ela falou: “Você tem medo.” Aí eu disse: “Quem tem medo é você.” Falamos o que não devia nunca ser dito por ninguém. Ela me disse: “Eu não sei mais o que eu sinto por você. Vamos dar um tempo, um dia a gente se vê.” E eu dizia: “Ainda é cedo.
Cora Coralina. 
Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas. Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove. E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas. Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove. E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.
Caio Fernando Abreu.  
Ando com uma vontade tão grande de receber todos os afetos, todos os carinhos, todas as atenções. Quero colo, quero beijo, quero cafuné, abraço apertado, mensagem na madrugada, quero flores, quero doces, quero música, vento, cheiros, quero parar de me doar e começar a receber. Sabe, eu acho que não sei fechar ciclos, colocar pontos finais. Comigo são sempre vírgulas, aspas, reticências. Eu vou gostando, eu vou cuidando, eu vou desculpando, eu vou superando, eu vou compreendendo, eu vou relevando, eu vou… e continuo indo, assim, desse jeito, sem virar páginas, sem colocar pontos. E vou dando muito de mim, e aceitando o pouquinho que os outros tem para me dar.
A culpa é mesmo das estrelas?  
A vida tem disso. Ela te mata de tristeza hoje, de saudade amanhã, de dor depois, para só no final te dar aquele gostinho doce na boca. Só depois de provar todos os salgados e amargos, até mesmo os que machucam o paladar, vai sentir uma pontinha, como meia colher de chá de um doce que a gente goste. É o suficiente? Não, não é. Claro que não. Quem quer sofrer uma semana inteira só para comer meia colher de doce? Ninguém, normal pelo menos, ninguém. Mas é o que te faz querer continuar. É o que te mantém à noite acreditando que amanhã vai ser melhor, que semana que vem tudo vai passar, que daqui um ano você vai estar tão feliz, que todos vão parar para te olhar e contar histórias sobre como sua vida foi bonita. É esse o momento doce que todos querem, o momento que todo o esforço parece enfim valer a pena. E demora, como demora. Ainda mais pra quem quer mesmo, quem corre atrás, porque meia colher não é o bastante pra quem quer o pote inteiro. Meia colher acaba rápido, mas é mais fácil conseguir… então, se demora tanto, é porque não vai vir só meia colher pra você, vai vir mais. Muito mais. A vida sorri de volta quando você não deixa de sorrir para ela.
Sean Wilhelm.
Você cresce. Suas roupas ficam menores, as ofensas já não acertam na mesma intensidade. Você expande seu campo de visão, e enxerga tudo o que não passava de um grande nada. Os dias passam, problemas aumentam, e o tempo se reduz. Responsabilidades, contas, horários, prazos, preocupações, e finalmente, a tão sonhada independência. Você cresce, as piadas tornam-se cansativas, as histórias entediantes, as pessoas irritantes, os amigos antigos vão sumindo aos poucos por estarem crescendo também. Você cresce, e ironicamente se sente menor, a rotina te aperta, e saudade te engole. Todo mundo cresce, e a maturidade tem um preço, quem diria que ser livre pode custar a liberdade? Te obrigam a voar, enquanto seguram suas asas. Amadureça, mas não cresça antes do tempo. Aproveite sua juventude, e acredite, crescer tem lá suas desvantagens.
A culpa é mesmo das estrelas?  
É uma história antiga e uma coisa boba de acreditar, mas dizem que quando alguém está destinado a encontrar outro alguém, podem haver milhões, uma multidão infinita, mas essas duas pessoas vão se encontrar. Às vezes, se procuram por anos, vidas, mas se são pra ficar juntas, vão ficar. Não vão existir contras, não haverá mundo capaz de para-los. Porque não há força maior do que um sentimento correspondido. Mesmo que não acredite em outras vidas, algumas almas viajam, esperam, e apenas quando se encontram, são realmente felizes. Só quando finalmente se completam, podem passar a eternidade toda juntos, sem ter que procurar, sem ter que esperar, sem “talvez amanhã”, ou “talvez não seja a pessoa certa”. Você vai ter a certeza, assim que olhar para a pessoa pela primeira vez. Podem dizer, e eu concordo em partes, talvez realmente não haja “amor a primeira vista”, mas você não sabe quantas vidas aquelas pessoas já se esperaram antes de enfim se apaixonar novamente nessa.